19 de abril de 2014
O amor é uma peste.
Cem Anos de Solidão (via trecho-de-livros)
18 de abril de 2014
taiguar:

”[…] Em qualquer lugar que estivessem deveriam recordar sempre que o passado era mentira, que a memória não tinha caminhos de regresso, que toda primavera antiga era irrecuperável, e que o amor mais desatinado e tenaz não passava de uma verdade efêmera.”

Gabriel García Márquez em “Cem Anos de Solidão”





Ilustração: Meme e Maurício Babilônia entre as borboletas ( Carybé )

taiguar:

”[…] Em qualquer lugar que estivessem deveriam recordar sempre que o passado era mentira, que a memória não tinha caminhos de regresso, que toda primavera antiga era irrecuperável, e que o amor mais desatinado e tenaz não passava de uma verdade efêmera.”

Gabriel García Márquez em “Cem Anos de Solidão”

Ilustração: Meme e Maurício Babilônia entre as borboletas ( Carybé )

Era a última coisa que ia ficando de um passado cujo aniquilamento não se consumava, porque continuava se aniquilando indefinidamente, consumindo-se dentro de si mesmo, se acabando a cada minuto mas sem acabar de se acabar nunca.
Gabriel García Marquez, em Cem Anos de Solidão.  (via sobrepaginasehistorias)

(Fonte: shipwreckling)

A gente não é de um lugar enquanto não tem um morto enterrado nele
Gabriel Garcia Marquez - Cem Anos de Solidão (via pasargadeando)
"Afastem-se vacas, que a vida é curta!" (Cem anos de solidão - Gabriel Garcia Marquez)
17 de abril de 2014
karamazove:

Gabriel Garcia Marquez with “One Hundred Years of Solitude” on his head

karamazove:

Gabriel Garcia Marquez with “One Hundred Years of Solitude” on his head

Siento que la conozco menos cuanto más la conozco.
Del amor y otros demonios, Gabriel García Márquez
(via denisesoyletras)

(via nashart)

books0977:

The Reader. Dan McCaw (American, 1942-).
McCaw’s aesthetic derives from a personal place – and from an innovative take on the mundane forms and figures of daily life that permits for moving, raw expression amidst the play of light and color, texture and design. In McCaw’s work, so much can be revealed through the subtleties of form and mood.

books0977:

The Reader. Dan McCaw (American, 1942-).

McCaw’s aesthetic derives from a personal place – and from an innovative take on the mundane forms and figures of daily life that permits for moving, raw expression amidst the play of light and color, texture and design. In McCaw’s work, so much can be revealed through the subtleties of form and mood.